Logo Edube

Conheça e entenda a BNCC, Base Nacional Comum Curricular

Quando o assunto é educação básica em um país de dimensões continentais como o Brasil, com tantas nuances socioculturais dentro de seu próprio território, o desafio é óbvio: como assegurar que todos os alunos que concluem o ciclo básico estejam na mesma página? Como fazer com que todas as crianças e adolescentes que passam pelo sistema educacional brasileiro tenham seu direito à aprendizagem plenamente respeitado, com padronização e equidade?

Solucionar esse impasse é o propósito da Base Nacional Comum Curricular, mais conhecida como BNCC

A BNCC é um documento normativo instituído em 2017, depois de dois anos de construção coletiva. Sua função é traçar as competências que precisam ser trabalhadas com o estudante brasileiro durante todos os seus anos formativos. 

Essas competências e habilidades são divididas em eixos pedagógicos, os quais podem ser organizados em currículos que façam sentido para as secretarias da educação de cada região. Assim, a dinâmica de adaptação confere algum grau de autonomia aos estados e municípios na estruturação curricular.

Por meio de uma série de consultas públicas, educadores e outros agentes da sociedade civil puderam contribuir com a elaboração do projeto. O crivo final ficou a cargo de mais de uma centena de especialistas indicados por órgãos do poder público e universidades, para que, só então, a proposta fosse assinada pelo Ministério da Educação (MEC).

Algumas das competências gerais básicas estabelecidas pela BNCC são:

  • Estímulo à autonomia intelectual ativa do aluno, trabalhando frentes como a capacidade de fazer análises críticas e investigações, imaginação, criatividade e testes de hipóteses para suas próprias teses sobre o mundo — tudo isso em uma perspectiva multidisciplinar, integrando conteúdos de diversas áreas de conhecimento;
  • Incentivo à tomada de decisões com reflexão e assertividade, levando o estudante a fazer suas escolhas de maneira empática, solidária e sustentável, sempre levando em consideração o impacto de suas ações nos colegas e estimulando o senso de coletividade;
  • Apresentação de manifestações culturais diversas, incluindo o trabalho de produção de diversas linguagens artísticas, para que o aluno tenha a oportunidade de se expressar e navegar pelo mundo descobrindo sua própria voz;
  • Uso da ciência e da tecnologia digital como ferramentas para investigar a sociedade à sua volta;
  • Desenvolvimento da habilidade de construir e compartilhar as ideias e pontos de vista, utilizando todas as modalidades de linguagem possíveis para comunicá-las — passando pela articulação escrita, falada, sonora e corporal, incluindo, também, a introdução à língua brasileira de sinais. 
Leia também: Fonemas e grafemas: representações essenciais para a alfabetização 

O objetivo da BNCC é propor frentes formativas que não apenas instruam academicamente os indivíduos, mas que também contribuam para criar uma geração de bons cidadãos — conscientes, críticos, criativos, confiantes e empáticos aos sentimentos do próximo.

A Alfabetização na BNCC 

A Base Nacional Comum Curricular define que a alfabetização das crianças deverá acontecer até o segundo ano do Ensino Fundamental, com 7 ou 8 anos, para garantir o direito fundamental de aprender a ler e escrever. 

O Instituto Edube é especialista em desenvolver materiais com metodologias que já incluem como alicerce as diretrizes previstas na BNCC. Conheça e converse conosco sobre as necessidades e desafios da sua escola!

Compartilhe

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments